10 práticas para alavancar a economia circular na sua empresa

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on google

Cada vez mais os líderes de grandes empresas estão percebendo o valor das estratégias de economia circular. Como exemplos podemos citar Adidas, Nike, Coca-Cola, P&G, Phillips, HP e Unilever. Essas empresas já perceberam que a economia circular é uma estratégia que agrega valor a marca e gera impactos positivos para a sociedade.

Essas empresas também perceberam que os benefícios dessa estratégia são maiores quando é aplicada na inovação de produtos e modelos de negócios. E isso é simples de entender. Assim como em investimentos, quanto maior o risco, maior o retorno sobre o investimento. Além disso, quando se fala em no design de produtos circulares, maiores são as oportunidades de melhorias (algo em torno de 80%).

Mas a questão é: como colocar em prática a economia circular?

A partir de uma pesquisa realizada pelo World Business Council for Sustainable Development e BCG, foi possível identificar práticas comuns em empresas líderes que estão inovando em circularidade. E mais, essas empresas estão usufruindo dos benefícios dessas estratégias e gerando valor para a sociedade.

Em suma, foi observado que as iniciativas bem sucedidas em economia circular envolvem a colaboração de vários stakeholders ao longo da cadeia de valor – algo que também foi observado no estudo que participamos em conjunto com a Universidade de São Paulo e a CNI.

Embora cada indústria e setor tenha seus desafios específicos, as 10 recomendações a seguir servem para qualquer empresa interessada em colocar em prática a economia circular.

Diagrama da economia circular. Fonte: Ellen MacArthur Foundation.

1. Engaje os stakeholders externos

Os stakeholders externos geralmente possuem muita relevância para incentivar iniciativas circulares. Seja pró-ativo, identifique e engaje esses stakeholders o quanto antes. Por exemplo, para fechar o ciclo, é necessário engajar cooperativas de reciclagem e os operadores do sistema de logística reversa. Isso também se estende aos consumidores – engajá-los, além de gerar benefícios pela escolha de produtos mais sustentáveis, permite uma maior fidelização à sua marca.

2. Tenha apoio dos líderes

A alta direção possui papel fundamental e direciona as iniciativas em economia circular. Sem esse patrocínio, as organizações não conseguem recursos necessários para essas iniciativas. Além disso, são os líderes que mantém o momentum e entusiasmo da equipe. Caso o líder da sua organização ainda não perceba o valor da economia circular, invista em projetos que aumentem sua percepção de valor, destaque os benefícios e o que a empresa vai ganhar com essas estratégias.

3. Entenda o conceito e comunique a visão de economia circular

Saber o que de fato é economia circular é essencial, mas é necessário transferir esse conhecimento à equipe. Além disso, essa comunicação ajuda a construir uma visão comum sobre a estratégia e ações da organização. Note que cada empresa deve construir sua própria narrativa em economia circular, e é função dos gerentes disseminar essa narrativa, além de comunicar a estratégia e sua lógica para toda organização.

4. Defina as expectativas e desenvolva um business case em economia circular

Ter iniciativas e estratégias em economia circular requer investimento, e por isso é necessário construir um business case – cerca de 81% das empresas que adotam estratégias de economia circular possuem um business case. Geralmente o business case está associado ao fortalecimento do relacionamento com clientes existentes, obtenção de novos clientes ou abertura a novos mercados. Portanto não invista em economia circular sem pensar em um business case.

5. Adquira habilidades, treine sua equipe

A liderança deve, principalmente no começo da jornada em economia circular, reforçar a importância da circularidade para seus colaboradores. Por isso, invista em capacitação e novas habilidades. Por exemplo, o time de operações precisa de habilidades em desmaterialização, logística reversa e remanufatura; enquanto o time de design precisa de habilidades em ecodesign e práticas de extensão da vida útil de produto. Lembre-se que um dos principais fatores de sucesso para inovação é a capacidade de execução da sua equipe. Para executar com agilidade e excelência, é necessário adquirir novas habilidades e competência, além de trabalhar a mudança de mindset.

6. Engaje e empodere as unidades de negócio

Embora o departamento de sustentabilidade seja o principal responsável pelos projetos de economia circular (em média 46% dos casos), são as unidades de negócio as responsáveis por implementar e escalar essas iniciativas. Para ter mais sucesso, garanta que os projetos envolvam as unidades de negócio relevantes desde o início do projeto. Assim elas se empossam da iniciativa e existe uma maior chance de que o projeto seja entregue com sucesso.

7. Inicie pelo processo, avance para o produto e então inove seu modelo de negócio

Está no começo da jornada em economia circular? Comece com mudanças menos disruptivas. Inovação em processos geralmente resultam nos quick wins, redução de custos e bom ROI para que sua equipe veja os benefícios e adquira experiência em projetos desse tipo. Em seguida, comece a explorar oportunidades de inovação no nível de produto: matérias primas mais sustentáveis, design para recuperação, e assim por diante. Por fim, evolua para o nível de modelos de negócios e avalie se há espaço e competências para essa inovação.

Em caso de startups, o processo pode ser direto e começar no nível de produto e modelos de negócio, uma vez que os processos normalmente não estão definidos, existe um problema a ser resolvido que está alinhado com o propósito do negócio, e os times são pequenos e ágeis, com um outro mindset.

8. Colabore com parceiros externos

É preciso um conjunto de novas habilidades e formas de pensar para desenvolver e lançar produtos e modelos de negócios circulares. As empresas mais bem sucedidas não tentam desenvolver ou adquirir todas essas habilidades internamente. Em vez disso, elas identificam o que é necessário e colaboram com parceiros externos, como ONGs, startups e instituições de pesquisa. Em alguns casos as colaborações são até cross-setorial e está fora da sua cadeia de valor. Afinal, o desperdício de uma indústria pode ser insumo para outra.

9. Defina indicadores para o business case de economia circular

Está convencido de que a economia circular traz benefícios para seu negócio e sociedade? Ótimo, mas a única maneira pela qual uma empresa pode provar um business case é ter os KPIs no seu lugar para medir o progresso. Defina os indicadores e a regularidade de medição. Além disso, invista em ferramentas que comparem os cenários, como é o caso da Avaliação do Ciclo de Vida e indicadores de circularidade.

10. Faça o bem e comunique

Os benefícios das estratégias de economia circular não se restringem somente ao negócio, mas envolvem ganhos para sociedade e meio ambiente. Ao colocar em prática essas estratégias e medir o progresso, não se esqueça de comunicar esses resultados. Isso ajuda não só a atrair novos clientes e fortalecer os relacionamentos existentes, mas também à engajar ainda mais seus parceiros e sua equipe, atrair novos investimentos e oportunidades. E mais, ajuda a conscientizar os stakeholders que ainda não conhecem os benefícios da economia circular.

Muitos líderes corporativos estão chegando a conclusão que a economia circular mudará a forma como os negócios serão conduzidos. Isso sem considerar os riscos iminentes e os desafios em sustentabilidade que vamos enfrentar nas próximas décadas. Começar agora certamente será um diferencial competitivo para as empresas. E a melhor parte é que todos nós ganhamos com isso.

Confira abaixo nosso infográfico com as 10 práticas para alavancar a economia circular na sua empresa.

Referências:

WBCSD, BCG. The New Big Circle – Achieving growth and business model innovation through circular economy implementation, 2018.

BCG. Ten steps toward the circular economy, 2018.